5 Principais pontos observados pelo VC Early Stage em financials de startups

5 Principais pontos observados pelo VC Early Stage em financials de startups

Uma das etapas mais importante durante o processo de análise de uma startup por um venture capitalist, é o momento em que são trabalhados os dados financeiros. Para esta etapa, diversos founders ficam em dúvida sobre quais pontos terão maior relevância ao serem analisados pelo investidor. É importante destacar, que alguns pontos e principalmente seu nível de aprofundamento, são alterados de acordo com a maturidade da startup e também do tamanho da rodada que está sendo realizada. Por exemplo, no early stage, onde ocorrem investimentos Seed e Pre-Seed, o nível de aprofundamento será menor do que no Late Stage, onde ocorrem as rodadas Series A, Series B e por aí em diante.

Além disso, a importância de cada um, pode diferir de acordo com a linha de análise seguida por cada fundo, os que aqui trataremos são aqueles com maior frequência no mercado.

  1. Como apresentar seus dados para um VC

Antes de entrarmos nos pontos específicos, outra dúvida recorrente é em relação ao recorte de tempoque deve ser apresentado. Principalmente pelo momento deste tipo de investimento, não se espera que a startup tenha dados financeiros dos últimos 5 anos, mas para o Venture Capitalist, olhar apenas para o dado do mês mais recente significará muito pouco. E partindo desta lógica também, se apresentar os dados consolidados de forma anual, semestral ou até mesmo trimestral, será uma série muita curta e provavelmente não passará nenhuma conclusão.

Uma das principais análises realizadas é em relação à tendência, ou seja, como os dados vêm evoluindo: Se estão crescendo, diminuindo etc., portanto, sempre apresente seus dados em escala mensal, apresentando, pelo menos, os últimos 2 anos (que pode ser menor de acordo com o tempo de vida da startup, obviamente). Além disso, não esqueça que o investidor deseja analisar muito do que a startup planeja fazer nos próximos períodos, então não se esqueça de apresentar os dados projetados, ao menos, para o tempo previsto no plano da rodada que costuma ser de 12 e 18 meses para startups early-stage.

2. Quais dados apresentar para o seu investidor

Vamos aos principais pontos e o que será olhado em cada um deles:

  1. Receita:

Talvez o mais óbvio de todos, mas qualquer analista quer saber, é quanto a startup está faturando. No entanto, um ponto que as vezes é deixado de lado, é o de diferenciar o que é recorrente e o que não é, caso se aplique ao seu modelo. Em uma startup de SaaS (software as a service), por exemplo, é normal que a monetização seja através de um setup fee – pago apenas na hora da contratação, portanto não recorrente – e de uma mensalidade – recorrente, já que é paga todos os meses. Deixar essas diferenças claras, ajuda a não distorcer o faturamento em meses que ocorram vários setup fees.

2. Despesas:

Continuando na linha dos óbvios, tendo o valor da receita e das despesas, já é possível ter um panorama da sua saúde financeira. É interessante que também seja um pouco mais explorado o que são despesas comerciais, administrativas e relacionadas ao desenvolvimento tecnológico. Assim, o analista pode entender onde a startup mais investe atualmente e um pouco de como serão utilizados os recursos pós captação.

3. CashBurn:

Basicamente é o quanto a startup está queimando de caixa em cada período. Se a receita for menor que a despesa, precisa ser utilizado algum recurso para essa conta fechar. Para startups que estão em fase de crescimento, não é tão ruim que se tenha uma queima de caixa, mas é importante entender a magnitude dela, pois se o valor estiver muito alto e sem demonstrar nenhuma queda, pode ser que o negócio enfrente graves problemas em um futuro próximo. Outra coisa que o analista buscará entender é quando será atingido o breakeven, ou seja, o momento que a receita supera a despesa, zera o cash burn e a operação da startup passa a ser positiva.

4. Pró-Labore:

Sim, founder, todo analista vai querer saber quanto você ganha (e pretende ganhar) dentro da sua startup. Você deve ter a sua remuneração, mas entenda que não é o momento de negócio que você deve visar o enriquecimento pessoal, ossos do ofício da vida de empreendedor… Esse é um momento que o investidor precisa saber que os recursos aportados serão utilizados para a expansão do negócio, não para que os founders sejam muito bem remunerados.

5. KPIs:

Quem nunca ouviu falar em CAC, LTV, Churn etc.? Estas métricas precisam estar muito claras no material enviado para análise. Você deve levar em consideração isto de duas formas: A primeira e que deixará o analista muito mais feliz, é já apresentar as métricas calculadas em seus financials. A segunda, é se certificar que com os dados enviados, o analista conseguiria fazer os cálculos, ou seja, tenha na sua planilha: número de clientes total, número de novos clientes, número de clientes perdidos, faturamento e gastos com comercial/marketing.

Estes pontos podem ter pesos e relevâncias diferentes de acordo com cada VC, mas são os mais usuais no mercado. Para reforçá-los, conversamos com o Luiz Lima, da ACE Startups e com o Rodrigo Andersen da Caravela Capital. Na ACE, Luiz reforçou que seus principais pontos de análise financeira contemplam um bom entendimento sobre a receita e suas origens, como são distribuídas as despesas e principalmente a real necessidade de caixa do negócio, uma vez que em alguns momentos o founder pode estar buscando captar na rodada um valor acima do que de fato necessita para executar seu plano de crescimento. O Rodrigo, na Caravela, não foge muito desta abordagem em relação à real necessidade de caixa da startup, mas agregou que passam por um momento que consideram métricas como: LTV e CAC, junto a outros dados financeiros, para identificar os ganhos e potencial com o crescimento e escalabilidade que a startup pode obter.

Se mesmo depois de ler toda essa explicação, você ainda tiver dúvidas em como construir e apresentar seus financials para os VCs,  no link a seguir você terá acesso a um template de planilha desenvolvido pela Bossanova, junto com um guia completo para lhe auxiliar no preenchimento: https://bossainvest.com/modelo-de-financials/ .

Fique à vontade para utilizar e compartilhar com outros founders!