Como saber se estou no momento de captar

Como saber se estou no momento de captar

A Realização de rodadas para a captação de investimentos faz parte da vida de toda startup de sucesso, afinal, por mais que seja possível seguir sozinho, o capital do investidor, sendo ele financeiro e intelectual, pode ser capaz de tornar viável e acelerar muito o crescimento de qualquer negócio. A captação de investimentos é uma das ferramentas fundamentais para a trajetória do empreendedor, mas talvez o mais complexo, principalmente para startups em fase inicial, é decidir qual o melhor momento para realizar a sua captação.

Obviamente que as razões que motivam o início de uma rodada vão variar entre cada caso e principalmente entre os estágios de cada startup, a ideia aqui é passar um pouco do que é esperado para startups no early stage, quais são os benefícios de realizar uma rodada neste momento e também como o negócio deve estar ajustado internamente antes de partir para sua busca por investimentos.

O passo 0 para saber se já está na sua hora de captar investimentos é entender o máximo que conseguir sobre como funciona o mercado, os processos que costumam acontecer e o que acontece após a entrada de um investidor. O primeiro ponto em relação a esta questão, é que você precisa ter em vista que captar investimentos não é um processo simples, vai exigir um certo tempo de preparação e organização de todos os seus materiais, serão realizadas diversas reuniões com potenciais investidores e, como todo processo, terão algumas burocracias. Com isso, é preciso que esteja ciente que algumas pessoas terão que dedicar uma parte consideravelmente do seu tempo para isto, principalmente o CEO da startup, que normalmente assume este papel executivo. Dito isto, é preciso estar organizado internamente para que durante o período que você estiver envolvido com a captação a empresa não venha a sofrer impactos negativos.

Outro ponto primordial no momento inicial da ideia de capitalização, é que muita coisa a partir desse processo mudará em seu negócio: você passará a ter uma empresa mais “pública”, tendo que compartilhar diversos dados internos com potenciais investidores e eventualmente avançando com alguém ter que compartilhar tudo o que tiver sobre o negócio. Além disso, ao ter um investidor que aportou em seu negócio você deverá prestar contas de como está a sua evolução e em determinados tipos de decisão precisará inclusive do aceite do investidor.

Estando com a operação organizada, de forma que uma dedicação para a rodada não será tão prejudicial ao negócio e tendo em vista que mudanças ocorrerão na governança da empresa, é a hora de analisar o momento da startup e se de fato faz sentido a injeção de capital acompanhada de um processo como o falado acima, para isso, recomendamos que leve em consideração os seguintes pontos:

  1. Antes da rodada, tenha um plano:

Com tantos cases de empreendedores saindo bem-sucedidos de uma rodada de captação, alguns podem ser levados pela onda e querer captar simplesmente para ter o dinheiro, sem que nem saiba muito bem o que fará quando ele estiver na conta. Na verdade, a lógica deve ser o oposto, primeiro você precisa ter bem claro qual seria a alocação do capital investindo, isto é, quais seriam os destinos por áreas daquele aporte e quais serão os retornos provindos desse investimento, em questões de projeções de receitas, melhoria do produto, desenvolvimente da equipe comercial e marketing, etc. Caso, você ainda não tem muito bem definido quais são seus gargalos, quais são as ações que você precisaria resolvê-los e quanto custaria, é melhor que você ainda dedique um tempo organizando e entendendo a operação.

2. Evite ter que captar por necessidades financeiras:

O melhor cenário para uma captação é o de aceleração do crescimento da startup, em que o captal injetado será aplicado na operação com a meta de mudar a realidade do negócio. Uma captação apenas para que a startup consiga sobreviver da maneira como está e com sua queima de caixa, pode não atrair tanta atenção dos investidores. Além disso, se você está com uma necessidade urgente de capital, isto pode fazer com que em uma eventual negociação com investidores, você esteja em uma posição de desvantagem, afinal, se ele analisou os seus financials vai saber da sua necessidade e que possivelmente você não pode esperar muito e com isso pode não sair com um deal nas melhores condições possíveis. Portanto, o momento de captar não é quando o desespero bate na porta, pelo contrário, se antecipe ao máximo a um eventual problema de caixa e sabendo que existe uma forte chance de ele acontecer, pode ser o momento de preparar um plano e aí sim fazer uma captação para executá-lo.

3. O melhor problema é a falta de dinheiro:

Pode não parecer muito óbvio, mas um bom momento para se captar recursos é quando o principal problema que limita o crescimento é a falta de recurso financeiro, afinal, se este for o problema, a rodada conseguirá resolver. Exemplificando, se sua operação já funciona bem, você tem um bom produto que é aprovado pelos clientes e tem junto um excelente time, mas o que falta para que de fato o negócio acelere o ritmo de crescimento é de capital financeiro para executar um plano comercial/marketing, faz todo sentido buscar esse recurso então. Agora, na ponta oposta, você tem uma operação que não funciona muito bem, se quer tem um produto já definido e sem um time empenhado na empresa junto com você, não adianta querer levantar caixa, pois os problemas vão muito além do dinheiro. Neste segundo caso, é válido que ajuste alguns pontos e que por mais que o dinheiro possa colaborar para ajustá-los, organize a situação para que justamente a única coisa que falta para resolver seja a entrada do recurso.

4. Entenda o momento da sua empresa:

Alinhando todos os pontos anteriores, em alguns casos a captação pode até fazer sentido para você, mas saiba o que esperar de uma rodada de acordo com o momento em que você está. Se você praticamente não tem faturamento, ainda está em uma fase bastante inicial e ainda não recebeu nenhum investimento, dificilmente conseguirá fazer uma rodada institucional com fundos ou até mesmo alguns grupos de anjos. Tendo em vista a intenção de atração de um smartmoney, talvez faça sentido esperar o negócio atingir uma maior maturidade, a mesma lógica vai se aplicar quando você já estiver com um faturamento razoável, que eventualmente já até consiga sustentar uma operação enxuta, neste caso pode já aumentar o leque de atração e, com isso, novamente vale refletir se já é capaz de atrair os investidores que serão interessantes para a sua startup. De nada vai adiantar você tentar uma rodada que você não vai estar trazendo os investidores que façam sentido com seu negócio.

Como dito no início deste conteúdo, o momento ideal de captação pode variar para cada negócio e seu estágio, com critérios mais objetivos até de requisitos impostos pelos próprios investidores que estarão fazendo a análise. Entretanto, os pontos que abordamos servem para causar uma reflexão se de fato é o momento de abrir a startup para o mercado e ir em busca de recursos para acelerar seu crescimento. Se você acredita que chegou o seu momento e possui fit com a tese da Bossanova, inscreva sua startup clicando aqui (Hiperlink: https://bossainvest.com/startups/).